segunda-feira, 11 de julho de 2011

Cogumelo que emite luz é encontrado no Brasil após 170 anos



Pesquisadores encontraram no Piauí um cogumelo que emite luz e que tinha sido avistado pela última vez há quase 170 anos. 

A pesquisa do grupo de cientistas da USP e das universidades americanas de San Francisco e de Hilo, no Havaí, será publicada na revista científica Mycologia. 

O Neonothopanus gardneri é o maior fungo bioluminescente do Brasil e um dos maiores do mundo. 

"Já tinha encontrado alguns cogumelos que emitem luz no Brasil, mas menores, alguns do tamanho de um fio de cabelo", disse à BBC Brasil o professor Cassius Vinicius Stevani, do Instituto de Química da USP. 

"Este foi o maior, um grupo deles emite quantidade considerável de luz", afirmou. 


Cassius V. Stevani/IQ-USP
Pesquisadores encontraram no Piauí um cogumelo que emite luz e que tinha sido visto pela última vez há quase 170 anos
Pesquisadores encontraram no Piauí um cogumelo que emite luz e que tinha sido visto pela última vez há quase 170 anos
 
FLOR DE COCO
Em 1840, o cogumelo foi descoberto pelo botânico britânico George Gardner quando viu garotos brincando com o que pensou serem vagalumes nas ruas de uma vila onde hoje fica a cidade de Natividade, em Tocantins. 

Chamado pelos locais de "flor de coco", o fungo bioluminescente foi classificado como Agaricus gardeni e não foi mais visto desde então. 

"Fiquei sabendo que existiam ainda fungos assim por volta de 2001. Nos anos seguintes, me chegavam relatos de Tocantins e Goiás de um cogumelo grande, amarelo, que emitia uma luz", diz Stevani. 

"Mas fotografia mesmo vi só em 2005, uma tirada no Piauí", afirma ele, que já participou de expedições noturnas para a coleta do cogumelo. 

"As buscas acontecem em noites escuras, de lua nova, com as lanternas desligadas", explica.
Curiosamente, o cogumelo ainda é conhecido popularmente em várias partes do país como "flor de coco". 

Existem 71 espécies de fungos que emitem luz, 12 delas estão presentes no Brasil.
A ciência ainda não desvendou o processo químico que permite que o fungo produza luz, nem a razão disso. 

Uma das teses consideradas é a de que a luz é emitida para atrair insetos noturnos, ajudando os fungos a dispersar seus esporos para a reprodução. Outra diz que a luz atrai insetos predadores que atacam insetos menores que se alimentam do fungo. 


Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais

Postagens Recentes